Crítica| Turma da Mônica – Série é divertida e tem sabor de infância

Planos infalíveis, coelhadas, dona da lua, ou melhor, rua… Essas palavras são familiares para a maioria dos brasileiros e trazem a todos um sentimento de nostalgia. É muito difícil conhecer alguém que não tenha crescido com as aventuras de Mônica, Cebolinha, Cascão e Magali. Afinal, esses personagens já ganharam inúmeras versões entre quadrinhos e animações, e foram apresentados a várias gerações. Agora, após tantas aventuras, a turma mais querida do Bairro do Limoeiro continua sua jornada em live-action com ‘Turma da Mônica – A Série’.

Dirigida por Daniel Rezende, o mesmo diretor dos filmes ‘Laços‘ e ‘Lições‘, a série se desenvolve em torno da chegada da Carminha Frufru (Luiza Gattai) ao Bairro do Limoeiro. A nova personagem tentará competir com a Mônica (Giulia Benite) pela liderança da turma. Em meio ao clima de tensão, sua festa será sabotada e Mônica, Cebolinha (Kevin Vechiatto), Cascão (Gabriel Moreira) e Magali (Laura Rauseo) terão que provar sua inocência.

A série possui uma narrativa leve e divertida, com uma aventura recheada de mistérios e segredos, que mantém a essência das personagens criadas por Mauricio de Sousa. Por ter o mesmo diretor e elenco, consequentemente, possui o mesmo clima dos filmes em live-action. Assim como nos longas-metragens, a produção traz uma mensagem profunda, falando das relações das personagens com a família e com os amigos. Além da questão da aceitação, pois ninguém é perfeito.

Uma das principais dificuldades em adaptar uma história com tantas personagens é conseguir aproveitar todos em cena, o que não é um problema para ‘Turma da Mônica – A Série’. O foco se mantém nas personagens principais, mas os coadjuvantes ganham seu merecido espaço, o que chama a atenção do público para as várias personagens dos quadrinhos que ganharam versão live-action. A maioria foi apresentada no segundo longa-metragem, mas alguns são novos, como a Carminha Frufru e a Denise, interpretada por Becca Guerra, que encarna perfeitamente a garota mais bem informada do Limoeiro.

A série também apresenta a transição das personagens. Na trama, eles não são mais crianças para brincarem no parquinho, mas também não são adolescentes para jogarem na quadra. Estão em um momento em que não sabem, exatamente, onde se encaixam. Além de ser um ponto importante no processo de amadurecimento das personagens, essa visão também  indica uma preparação para o projeto da ‘Turma da Mônica Jovem’. Os fãs ficam na torcida para que a produção seja desenvolvida e mantenham os mesmos artistas, já que uma das discussões era uma possível troca de elenco para a série teen. Uma mudança que não faz sentido, pois os atores estão crescendo e continuam perfeitos nos papéis das personagens.

Turma da Mônica – A Série’ traz uma aventura investigativa sem perder o estilo das personagens mais queridas dos quadrinhos. Leve e divertida, a série tem gosto de gibi, infância e alegria. Ou seja, possui toda a essência da ‘Turma da Mônica’. 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: