Crítica | ‘Enola Holmes’ é diversão estilo ‘Sessão da Tarde’

Enola Holmes‘ (2020) é o mais novo filme da Netflix, baseado no livro homônimo de Nancy Springer, dirigido por Harry Bradbeer e escrito por Jack Thorne. O filme originalmente seria lançado pela Warner Bros, mas, devido à pandemia mundial, teve seus direitos de distribuição comprados pela Netflix em abril de 2020. Millie Bobby Brown (Stranger Things), que também ajudou na produção do longa, interpreta a irmã mais nova de Sherlock Holmes (interpretado por Henry Cavill Superman), Enola Holmes.

A trama se passa quando Enola acorda no dia do seu 16º aniversário para descobrir que sua mãe, com quem viveu a vida toda, Eudoria Holmes (Helena Bonham Carter) desapareceu, então, ela decide chamar seus irmãos mais velhos, Sherlock e Mycroft (Sam Claflin) Holmes, para ajudar a encontrá-la. Mas rapidamente Enola percebe que os irmãos – principalmente Mycroft, que tinha a guarda de Enola – não estavam tão interessados assim pelo caso e ainda por cima desaprovam o modo com que ela foi educada e criada pela mãe. Os dois, então, decidem mandá-la para uma escola para “meninas direitas”. Por isso, Enola decide juntar os presentes deixados pela sua mãe e ir para Londres desvendar o mistério sozinha.

Millie entrega uma ótima atuação como Enola, saindo do papel mais “sombrio” de Eleven, de ‘Stranger Things, para um papel principal com uma ótima evolução de personagem, mostrando todo o seu talento. Sua desenvoltura, carisma e perspicácia demonstram por que Millie foi uma ótima escolha para o papel da irmã caçula de Sherlock Holmes. E por ser um nome conhecido de Stranger Things, atrai ainda mais atenção para o filme, que, mesmo se passando em 1900, aborda discussões de temas atuais, como o feminismo, o papel da mulher na sociedade, entre outras pautas. O filme traz em vários momentos a quebra da quarta parede, com Enola conversando com o espectador, contando sobre sua história e fazendo comentários sobre a trama, o que engaja o público e torna tudo ainda mais divertido.

Enola Holmes’ é um bom “filme de domingo”: leve, com boas atuações e bastante divertido. Recomendado principalmente para os já fãs do famoso detetive de Baker Street quanto para apresentar bem sutilmente o maior detetive do mundo para os novos espectadores e leitores.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: